Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira Capítulo 31

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira Capítulo 31

31 

Estava quase no meio do meu almoço, quando Oliver começou a puxar conversa. 

Vai fazer o quê da vida agora que se tornou maior de idade? 

– Ah, eu vou continuar trabalhando, e me inscrever numa faculdade a distância. 

Oliver parou de comer, talvez surpreendido com minha resposta. 

– O que irá cursar? – Perguntou curioso. 

– Pedagogia. 

Respondi e voltei a comer, porém, ele não! Continuava a me observar. 

Quando vai começar? 

Eu não sei, ainda preciso comprar um notebook, e ai sim, vou procurar uma boa EAD. 

Um bom notebook custa caro! – Desdenhou 

Eu sei, mas só vou usar para estudo, então não serei tão exigente na hora da compra um. – Sorri 

com sarcasmo. 

Você tem resposta para tudo em? 

– Só para as perguntas que me fazem. 

Eu não queria ser grossa, mas não iria deixar Oliver me por para baixo, já bastava me esnobar pelas 

minhas poucas roupas. 

Sua mãe te ligou? 

Do nada mudou de a*sunto, o que me deixou um pouco sem jeito, mas claro que iria responder. Sempre fui muito clara em relação a minha vida e isso não era nenhum segredo. 2 

– 

– Não, ela não tem meu telefone, e também se tivesse não me ligaria. Conclui. 

Posso saber como tudo aconteceu no dia que você fugiu de casa? 

Oliver era direto, talvez se acha*se no direito de saber das coisas por ser meu patrão. Eu não me 

importava em falar, mas conversar com ele me dava a sensação que estava desabafando com uma 

serpente, que esperava a hora de dá o bote. 

O que quer saber especificamente? – O deixaria suprir suas dúvidas. 

Seu padrasto, já tentou alguma coisa com você antes? 

– Não, nunca… Na verdade, minha mãe não gostava que eu fica*se em casa, quando era dia de 

1/4 

Ela já sabia que ele era a*sim? Por isso fazia isso para te proteger? 

– Na verdade, ela fazia isso para se proteger. – RiEla morria de ciúmes dele, então fazia de tudo 

para que eu fica*se o mais longe possível. 

Como conseguiu fugir dele? Como você conseguiu sair de casa? 

– Eu estava colocando minha comida no prato, quando ele se aproximou e tentou tocar em mim, 

então, joguei a comida com o prato e tudo no rosto dele, corri no meu quarto, que ficava já perto da porta de saida, peguei minha bolsa e sai correndo. 

Oliver ouvia tudo com atenção, confesso que não era o tipo de conversa que eu queria ter hoje, mas 

era bom conversar com alguém. 

– Por que veio direto para a capital? 

Porque uma amiga minha tinha uma pa*sagem comprada para cá, e no desespero para me 

ajudar, me deu. 

– Você tinha noção do que estava fazendo pelo menos? 

Eu estava desesperada, simplesmente agi. 

– Por que pegou o caminho para a fazenda a pé? 

Era pergunta atrás de pergunta. 

Uma senhora numa barraca de comida me disse, que na fazenda sempre empregava gente, e eu teria chances, mas, como só havia carros ao sábado para lá, resolvi arriscar, no dia que cheguei 

Você corria risco de vida numa estrada desconhecida e sozinha, podia ter morrido. 

-Eu sei, mas estou feliz que te encontrei, e quem não morreu foi você! 1 

Sorri, mas logo depois fiquei com vergonha do jeito que falei com Oliver. 

Eu era uma pessoa que não tinha medo de expressar sentimentos ou emoções, mas com Oliver 

diferia, ele me deixava encabulada. 

Voltamos ao silêncio, e então terminei de comer e ele também. Eu poderia jogar o mesmo jogo e fazer perguntas, já que ele me interrogou tanto, mas preferia que ele se abrisse espontaneamente, 

no momento dele, com certeza ainda doia muito falar da mãe do Noah. 

– Podemos ir? 

Sim senhor. 

Perguntou 

Ele pagou a conta. 

Pode descontar minha parte do meu salario esse mes, senhor. 

Deixei claro. 

– Que salário? Esqueceu que descontarei o dinheiro do hospital? Você ficará sem salário por um 

bom tempo.4 

Ao falar isso, se levantou e saiu, e eu o segui. Já preocupada em saber quanto teria dado a conta do hospital, mas, por que também ele me trouxe para um hospital particular? Esse homem sabia como estragar o dia de alguém, como iria comprar meu notebook agora? Se gasta*se o dinheiro que eu tinha, ficaria sem nada por um tempo indeterminado. 

– Desalmado, sem coração, nunca ouviu falar do SUS? 

Falei baixinho, mas mesmo se tivesse falado alto ele não me ouviria, pois já estava quase perto do 

carro, porque além de ter pa*sos largos, andava muito rápido. 

Entrei no carro e logo saimos. 

famos para a fazenda, não via a hora de ver Noah, e dormir abraçadinha a ele. Oliver dirigia em 

silêncio, por um segundo olhei para ele pelo retrovisor do carro, e me pareceu que ele estava sorrindo, com uma cara bem debochada, eu não o entendia, pensei no que poderia ter perdido para 

ele ficar a*sim, e continuei calada olhando para a frente, mas logo após virar duas quadras, lá 

estava ele, o mar! 2 

Oliver dirigia por uma avenida beira-mar, e eu fiquei desacreditada no que via, a praia, a areia, as 

ondas, aquele tanto de água, me senti como uma criança que queria muito, pedi para a mãe que a 

deixa*se correr um pouco pela areia, fiquei muito eufórica. 

– 

Que cara é essa? Parece que nunca viu o mar! 

A voz de Oliver ecoou nos meus ouvidos. 

– É a minha primeira vez. 

Falei. Logo sua cara de deboche pa*sou, e em seu semblante veio algo como se estivesse surpreso. 

Então parou o carro num estacionamento, desligando a chave. 

– Você está falando sério, nunca viu o mar? 

– Sério. Posso te pedir algo? – Disse tímida. – Aproveitando que desligou e estacionou o carro, 

posso ir até à praia rapidinho? 

Oliver ficou quieto por um tempo, até a*senti com a cabeça num sinal de sim. Peguei meu celular 

e desci do carro parecendo uma criança, tentei ser o mais normal possivel, mas quando pisei o pé 

na areia, me senti num parque de diversão, tirei minhas sandálias e corri para a água, era tão 

emocionante, fiquei um pouco tonta quando a água veio para perto de meus pés, comecei a filmar 

com meu telefone. 

Esse é o dia mais feliz da minha vida, hoje fiz dezoito anos, e conheci o mar! 

Filmei tudo, chutando a areia, meus pés molhados, meu sorriso. 

Que logo desapareceu quando viu Oliver perto, ele estava em pé me observando, agora estava com 

um óculos escuro no rosto, meu momento precioso foi estragado por sua cara séria. 

– 

Quer que eu bata uma foto para você? Falou sério. 

– 

– 

– Não precisa! Fiquei sem jeito. 

– Vai. Sorria como estava antes. 

Tirou o celular do bolso. 

Fiquei super sem jeito, além dele está tirando fotos minhas, estava tirando com o próprio celular, 

não consegui sorrir, estava tímida. 4 

– Está bom senhor, muito obrigada. 

– Me dá seu número, que vou te enviar as fotos. 

Lembrei que Oliver não tinha meu número de telefone, o que era necessário, já que algo podia 

acontecer com Noah e eu teria que contatá-lo, dei meu número e logo chegaram as fotos pelo W** **p. E eu, que pensava que já ia embora, fui surpreendida com Oliver se sentando na areia. 3) 

– Senta ai, aproveita que estou bonzinho hoje. 13 

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Score 9.9
Status: Ongoing Type: Author: Artist: Released: 10/5/2023 Native Language: Portuguese
Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira" Novel is a subgenre of romance fiction that features a romantic relationship between the main characters, Célia Oliveira one of whom is a chief executive officer (Célia Oliveira) or high-ranking corporate executive. Read More Ex-wife’s Disguised Identity by Josie Atkins Novel

Read Online Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Aurora era uma garota cheia de sonhos, que começaram a ser destruídos após a morte de seu pai.Tudo que ela queria era dar uma vida melhor para a mãe, mas tudo mudou, quando sua mãe conhece um homem e se casa novamente, se transformando praticamente em outra mulher, Aurora que era filha amada, ficou detestada pela mãe, que tinha ciúmes do marido com a filha, as coisas só pioram quando ela tem que fugir de casa para não ser violentada pelo padrasto, e na procura por um lugar para morar, acaba encontrando um homem misterioso numa ponte...

Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Some Important Questions Related to the Story

  1. What time did Aurora's mother arrive home, and why was she upset?
    • Aurora's mother arrived home after six o'clock, and she was upset, possibly due to something Sandro had done or said.
  2. How does Aurora contribute to her household?
    • Aurora takes care of her younger sister, Alice, so her mother and her boyfriend, Sandro, can work outside the home. She also makes hair bows to earn some money.
  3. Why does Aurora hide her earnings from making hair bows?
    • Aurora hides her earnings because she plans to use the money to leave home when she turns eighteen and doesn't want her family to take it from her.
  4. Why hasn't Aurora been able to pursue her dream of attending college?
    • Aurora's mother didn't allow her to attend college because she believes Aurora should take care of Alice instead of pursuing higher education.
  5. What is the nature of Aurora's relationship with her friend Isadora?
    • Aurora and Isadora are best friends who met in elementary school. They had plans to attend college together, but Isadora is now leaving for another state to study medicine.
  6. What is Aurora's ultimate goal when she turns eighteen?
    • Aurora's goal when she turns eighteen is to leave her current home and start a new life in a different city, far away from her family's toxic environment.
  7. Why does Aurora's mother's attitude toward her change after she started dating Sandro?
    • Aurora's mother's attitude changed because she became infatuated with Sandro and allowed her jealousy and possessiveness to affect her relationship with Aurora.
  8. How does Aurora plan to support herself when she leaves home?
    • Aurora plans to support herself by finding a job, renting a small apartment, and eventually pursuing a college education to achieve her dreams.
  9. What does Aurora think about her two months left in her current situation?
    • Aurora sees these two months as a short period in comparison to the difficult years she has endured and is determined to leave her current situation behind.
  10. Why does Aurora want to move to a distant city?
    • Aurora wants to move to a distant city because she believes that anywhere else would be better than her current situation at home, and she is determined to start fresh and pursue her dreams away from her family's toxic environment.

Conclusion

Aurora's story is one of resilience and determination in the face of a challenging family situation. Despite her difficult circumstances, she is determined to break free, pursue her dreams, and build a better life for herself. Her unwavering spirit serves as a testament to the power of hope and ambition.  

Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Options

not work with dark mode
Reset