Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira Capítulo 19

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira Capítulo 19

19 

Após sairmos do shopping, Joaquim nos buscou e fez uma mini tour em alguns pontos turisticos da capital. 

Pa*samos praticamente o dia fora. Quando chegamos na fazenda, já iam dar sete da noite, como era fim de semana, Denise não ficaria por lá, então cheguei na casa e encontrei tudo escuro, sai acendendo todas as luzes até chegar em meu quarto, pus Noah na cama e comecei a preparar seu 

banho. 

Após dar banho, mamadeira, e o ninar para dormir, tomei meu banho, já ia dar mais de meia-noite, estava com fome e fui para a cozinha preparar algo para comer. Levei a baba eletrônica comigo, a*sim fazia as coisas de olho no Noah, fiquei preparando uma sopa na cozinha, minha fome era tanta, que um lanchinho apenas não resolveria. Eu estava comendo muito mal ultimamente, devia 

já ter perdido uns 5 quilos, enquanto cozinhava, pensei em tudo que Denise me falou. 

Toda a conversa vinha em minha mente, eu que não tinha relação alguma com a história estava tão chateada, imagina como estaria o coração do Oliver, ao ser enganado dentro de sua própria 

casa 

Falando nele, não havia sinais que estava na casa, então me senti confortável por está só, mas aí, 

veio na mente o que Denise falou. 

– Acho que ele tentou, contra a própria vida. 

Na mesma hora, um calafrio subiu pela minha espinha, a casa estava quieta demais, nem Saulo parecia está por ali, e ainda mais, quando cheguei, estava tudo escuro. 

– Será que ele tentou fazer alguma besteira contra a vida outra vez? 

Meu Deus! Meus pensamentos ficaram me perturbando, a sopa estava cozinhando no fogão, e algo me dizia para ir atrás do Oliver, talvez ele estivesse caido no escritório, ou no quarto, talvez ele bebeu demais e teve uma overdose. Entrei em pânico, na mesma hora sai pelo corredor atrás do dono da casa, a porta de seu quarto estava fechada e não parecia ter luz acesa, fui até o escritório e encontrei a porta entreaberta, havia luz lá dentro, me encostei na porta e espiei um pouco, ele não estava na sua mesa, coloquei mais a minha cabeça para dentro, vi as duas poltronas e ele também. não estava, coloquei um pouco mais meu corpo para a frente, talvez ele tivesse caido no chão ao lado da poltrona, nada dele. Quando dei um pa*so para entrar, levei um grande susto, ele apareceu atrás de mim. 2 

– Você estava espionando meu escritório? – Falou sério. 

Meu coração ainda estava superando o mini infarto que tive. 

– Não… Não senhor, é que. Gaguejei mais do que o esperado, esse homem tinha mania de 

– O que faz aqui? Responde! – Disse sem paciência. 

– 

– Vim devolver o cartão que me deu mais cedo. Lembrei do bendito cartão na hora. 

– 

– Hum… Me olhou desconfiado, abriu totalmente a porta do escritório e entrou, sentou-se em 

sua mesa e esperou que eu entra*se também. Eo que você comprou para ele? 

– Ah, senhor, não comprei nada. – Comecei a falar. Eu até vi alguns brinquedinhos, mas ele é muito pequeno ainda para usar algum deles, 

Ele me olhava nos olhos, como se quisesse ler minha alma. Ao olhar nos olhos dele também, depois de tudo que descobri hoje, consegui ver além do seu semblante duro, uma tristeza enorme, devastadora, Oliver sofria, e tentava esconder seu sofrimento por trás de uma máscara sombria, tive compaixão dele, queria ajudá-lo de alguma forma, mas não podia ajudar nem a mim mesma, o que poderia fazer? 

-Senhor! – Falei. 2 

– 

O quê? Respondeu. 

– 

Está com fome? – Ele mudou o semblante na hora e fez cara de dúvida. É que estou acabando de fazer uma sopa, como não tem ninguém trabalhando aqui hoje, talvez o senhor queira comer, 

– Acha que não sei preparar a minha própria comida? – Respondeu frio. (3) 

– 

Não é isso, me perdoe se foi o que o entendeu, é porque cheguei, e não vi nada no fogão ou na pia, achei que quisesse comer algo. 

– Se eu quiser comer algo eu mesmo faço, e quanto ao cartão, fique com ele, caso o menino precise de algo você mesmo compra, agora saia, tenho que trabalhar. 

– 

Tudo bem, com licença, e boa noite! 

” 

Sai do escritório sem obter reposta, ao final me dei bem, porque se ele pedisse o cartão para que o entrega*se, estaria ferrada, já que eu o deixei no quarto. 

Voltei para a cozinha e minha sopa estava pronta, comi e guardei o restante para o outro dia, a*sim não precisaria cozinhar amanhã um almoço para mim. 

Lavei o que sujei e voltei para o quarto, já ia me deitar para dormir. 

Estava morrendo de sono, quando escuto um pequeno chorinho, o Noah havia acordado, olhei no celular e já eram duas horas da manhã, dei a mamadeira e fiquei com ele no colo, já que não tinha cara que iria dormir tão cedo. 2 

Resolvi usar o celular, já que Denise havia me dado o chip, coloquei e já recebi um SMS dela, dizendo que teria colocado crédito, como sinal da nossa amizade. 

Salvei seu numero e respondi o SMS, agradecendo por tudo, liguei os dados moveis e baixei o w**** **p, também baixei o I*******m e fiz uma conta fake, a*sim ninguém descobriria quem era eu, e poderia ver a vida de todos. Mexi no que podia e depois de não ter mais nada, e Noah ter pegado no sono outra vez, iria dormir, quando me lembrei do homem da ponte e da noticia Queria matar 

aquele a*sunto de uma vez e esquecer, mas a curiosidade de olhar a foto dele era maior, então 

entrei num site de noticias e li tudo de novo do que Oliver havia falado, ao final da noticia vi a foto do homem, era um senhor preto, de cabelos longos, barba grande, baixo e gordo, procurei informações se aquela foto era atual e descobri que ele havia tirado 2 dias antes de morrer. Então não pude acreditar no que estava acontecendo, esse homem da noticia, que havia se suicidado na ponte que pa*sei, não era o mesmo homem que encontrei naquela noite, não mesmo! 7 

O homem da ponte era branco, forte, alto, sua estatura podia ser comparada com a estatura de, sei lá. Tentei me lembrar alguém que tinha o corpo igual ao do homem. O Oliver. 

O homem da ponte era o Oliver! 

Today’s Bonus Offer 

GET IT NOW 

T

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Score 9.9
Status: Ongoing Type: Author: Artist: Released: 10/5/2023 Native Language: Portuguese
Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira" Novel is a subgenre of romance fiction that features a romantic relationship between the main characters, Célia Oliveira one of whom is a chief executive officer (Célia Oliveira) or high-ranking corporate executive. Read More Ex-wife’s Disguised Identity by Josie Atkins Novel

Read Online Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Aurora era uma garota cheia de sonhos, que começaram a ser destruídos após a morte de seu pai.Tudo que ela queria era dar uma vida melhor para a mãe, mas tudo mudou, quando sua mãe conhece um homem e se casa novamente, se transformando praticamente em outra mulher, Aurora que era filha amada, ficou detestada pela mãe, que tinha ciúmes do marido com a filha, as coisas só pioram quando ela tem que fugir de casa para não ser violentada pelo padrasto, e na procura por um lugar para morar, acaba encontrando um homem misterioso numa ponte...

Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Some Important Questions Related to the Story

  1. What time did Aurora's mother arrive home, and why was she upset?
    • Aurora's mother arrived home after six o'clock, and she was upset, possibly due to something Sandro had done or said.
  2. How does Aurora contribute to her household?
    • Aurora takes care of her younger sister, Alice, so her mother and her boyfriend, Sandro, can work outside the home. She also makes hair bows to earn some money.
  3. Why does Aurora hide her earnings from making hair bows?
    • Aurora hides her earnings because she plans to use the money to leave home when she turns eighteen and doesn't want her family to take it from her.
  4. Why hasn't Aurora been able to pursue her dream of attending college?
    • Aurora's mother didn't allow her to attend college because she believes Aurora should take care of Alice instead of pursuing higher education.
  5. What is the nature of Aurora's relationship with her friend Isadora?
    • Aurora and Isadora are best friends who met in elementary school. They had plans to attend college together, but Isadora is now leaving for another state to study medicine.
  6. What is Aurora's ultimate goal when she turns eighteen?
    • Aurora's goal when she turns eighteen is to leave her current home and start a new life in a different city, far away from her family's toxic environment.
  7. Why does Aurora's mother's attitude toward her change after she started dating Sandro?
    • Aurora's mother's attitude changed because she became infatuated with Sandro and allowed her jealousy and possessiveness to affect her relationship with Aurora.
  8. How does Aurora plan to support herself when she leaves home?
    • Aurora plans to support herself by finding a job, renting a small apartment, and eventually pursuing a college education to achieve her dreams.
  9. What does Aurora think about her two months left in her current situation?
    • Aurora sees these two months as a short period in comparison to the difficult years she has endured and is determined to leave her current situation behind.
  10. Why does Aurora want to move to a distant city?
    • Aurora wants to move to a distant city because she believes that anywhere else would be better than her current situation at home, and she is determined to start fresh and pursue her dreams away from her family's toxic environment.

Conclusion

Aurora's story is one of resilience and determination in the face of a challenging family situation. Despite her difficult circumstances, she is determined to break free, pursue her dreams, and build a better life for herself. Her unwavering spirit serves as a testament to the power of hope and ambition.  

Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Options

not work with dark mode
Reset