Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira Capítulo 10

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira Capítulo 10

10 

– 

– Embora, como a*sim? – Saulo perguntou sem entender nada, parece que Oliver não comentou nossa última conversa com o amigo. 

– 

– 

Eu sou menor de idade, o senhor Oliver me mandou embora. 

– Mas você já é quase maior, quanto tempo falta para fazer 18? 

– Só dois meses, mas não é isso. Continuava chorando. 

E o que é então? 

Mesmo que eu complete meus dezoito, não posso ficar aqui, pois não posso trabalhar registrada. Acabei soltando a minha preocupação, que estava matutando na minha cabeça, Sandro descobriria onde estava, ele viria atrás de mim, acabaria com a minha vida ou sabe là o que conseguiria fazer. 

– 

Aurora, você deve algo a justiça? Está fugindo de algo? Saulo perguntou a*sustado sem 

entender. 

– Não é isso, deixa quieto, você não entenderia. Nesse momento percebi o qual frágil estava, que quase ia contando a minha história para o Saulo. Me recompus, peguei o copo de água e me 

levantei. 

– Com licença, preciso ficar com o Noah. 

– Espera, só mais uma coisa, o Oliver sabe que você está aqui? 

– Claro que não, aquele imbe… Quase ia xingando o homem outra vez na frente do amigo. Bem, ele estava dormindo no sofá, bébado e cheio de garrafas ao redor. 

Virei as costas e fui para a sala de observação, onde aquele pequerrucho estava, agora com sua cor normal, dormia lindamente. 

– 

– A temperatura dele está abaixando, logo estará melhor. Disse a enfermeira. 

– Ea coleta de sangue, já fizeram? 

Ah, sim, o doutor acabou de sair com as amostras. 

– O Noah chorou muito? 

– Não, ele começou a choramingar e parou, é um rapazinho muito forte e corajoso. – A enfermeira 

sorriu. 

– Sim, ele é. 

Sorri e fiquei ao lado dele, aquele pedacinho de gente precisava de alguém que o protegesse e 

mentindo, não me aceitaria também com as condições de não registrar minha carteira de trabalho. 

Meu coração chegou errar a batida naquele momento, eu não conhecia aquele bebê nem há uma semana, e já me apegava a ele de todo meu coração, nem com a Alice me senti desse jeito, parecia haver uma ligação inexplicável entre aquele bebê e eu, me senti por um momento ser a sua mãe, e como mãe, não suportaria viver longe de meu filho, 

A noite foi longa e pa*sei ali ao lado dele, mais tarde, Joaquim apareceu e eu pedi que ele fosse até a casa grande buscar o leite e outra roupinha para o Noah, já que não sabia que horas iríamos sair dali, e na pressa e desespero do momento, peguei apenas a bolsa de emergência, que continha uma fralda os documentos e uma pecinha de roupa. 

Quando Joaquim chegou, troquei o Noah que já estava bem melhor, o alimentei e o deixei dormir, fiquei do lado dele, até amanhecer. 

Pela manhã, o médico que me atendeu a noite havia dado a alta dele, falou o prazo que sairiam os resultados dos exames, e receitou um remédio diferente para intercalar a febre caso aparecesse 

outra vez. 

Ao sair, Joaquim já me esperava para me levar para casa, Saulo já tinha ido embora desde a madrugada, e o genitor da criança nem sequer tinha dado as caras. 

Quando cheguei na casa, havia uma mulher diferente lá, ela estava fazendo faxina na sala, não havia nem sinal de Oliver ou Saulo, fui para o quarto, tomei banho e preparei o banho do bebê. 

Estava muito cansada, pois pa*sei a noite toda em alerta, vigiando o Noah, agora iria dormir, esse era o bom de ter recém nascidos em casa é que eles dormem muito, principalmente durante o dia. 

Já estava preparada para dormir, coloquei Noah na cama comigo, colei praticamente meu rosto ao dele, estava tão ligada àquele bebé, que meu coração partia em deixá-lo, ainda mais sabendo que o pai era um idiota, e não estava nem ai para o filho. 

Comecei a chorar sem saber o que fazer, não podia fazer nada, Oliver já não me queria ali, eu teria que ir embora, mesmo estando cheia de amor para dar para aquele bebê, ele não me deixaria ali, 

ainda mais por eu não querer ser registrada futuramente. 

Pensando no que faria, iria embora, mas não iria agora, pois Noah ainda estava frágil, e eu estava 

morrendo de sono, dormi… 

Acordei com um chorinho bem conhecido, alguém estava ficando com fome. 

Levantei para fazer a mamadeira, e notei que minha bolsa, que havia guardado minhas coisas não estavam mais onde deixei, abri o armário para tentar encontrá-la, e para a minha surpresa, a bolsa 

estava guardada, e todas as minhas roupas que estavam dentro dela, estavam arrumadas no cabide. 

Fiquei perplexa com aquilo, mas tinha que fazer a mamadeira de Noah, antes de procurar a 

Após dar a mamadeira do comilão, o coloquei no sling e sai para caminhar um pouco, na cozinha, estava a mesma mulher, que quando cheguei estava arrumando a sala. 

– 

– Bom dia! Cumprimentei. 

– Bom dia. Respondeu sorridente. 

– 

– 

Por acaso, foi você que arrumou hoje o quarto onde durmo? 

Ah, foi, sim, houve algum problema ou reclamação? 

Não, é só que eu estava com minha bolsa arrumada, e você acabou guardando tudo de volta no armário. 

– 

– Ah, é isso? 

– 

Sorriu Pois é, eu vi mesmo a bolsa lá, e nem ia mexer em nada, mais af, o senhor Oliver entrou no quarto e viu sua bolsa pronta, mandou que eu retira*se tudo de dentro e arruma*se de novo no armário. 

Minha cabeça então ficou mais confusa do que já estava, se Oliver viu que iria embora, por que mandou colocar tudo no lugar de novo? 

– 

– Você não gostou não é moça? Que mexi nas suas coisas. Perguntou. 

– Ah, não se preocupe com isso, só queria mesmo saber quem tinha arrumado, aliás, meu nome é Aurora e o seu? – Me apresentei. 

-Denise. Sou sobrinha da Lúcia que trabalha aqui na casa, mas ela entrou de férias, então eu vim 

cobrir ela esse mês. 

– 

– Muito prazer, Denise. 

Denise era jovem, aparentava ter no máximo 25 anos, tinha longos cabelos pretos e bem lisinhos, tinha uma pele morena, aparentava ter descendência de indigenas, o que a fazia ser muito bonita por sinal. 4 

– Estou preparando o almoço, hoje o senhor Oliver pediu para preparar uma comida reforçada. 

– E onde ele está? Não o vi desde que cheguei 

– Ele acordou cedo, tomou café e saiu com o amigo dele. 

Para quem estava praticamente morto na cachaça ontem, já estava bem espertinho hoje, deve ser 

muito acostumado a beber até morrer e ressuscitar no outro dia. 

– 

– Por acaso ele perguntou algo sobre o filho dele? 

– Para mim mesmo não, mas ele e o Saulo estavam discutindo algo no escritório, sobre você e o 

bebê, não que eu estivesse escutando. Se defendeu. – É porque daqui dava para ouvir os gritos 

www 

Ao contrário de Lúcia, Denise parecia ser muito conversadeira, e eu iria me aproveitar daquilo e tiraria toda a informação que pudesse dela, 

– Você trabalha aqui há muito tempo, Denise? 

– Vai fazer dois anos no dia 18 do próximo mês, mas eu trabalho mesmo é no refeitório, só venho para cá no dia de folga de tia Lúcia. 

– 

Denise, por acaso você conhece a mãe do Noah? Ela me olhou de canto com os olhos 

arregalados, parecendo que eu tinha falado sobre um fantasma. 

– Não senhorita. – DesconversOU. 

– Nossa Denise, dois anos aqui e você nunca viu ela? 

– 

Assim, eu já vi de longe, mas como disse, eu trabalho no refeitório e ela não aparecia muito por 

lá não. 

Onde ela está agora Denise? – Perguntei curiosa, 

Olha moça, eu vou falar para você, mais não conta para ninguém que fui eu não! A mãe do 

menin… 7 

– O almoço já está pronto, Denise? 

Oliver apareceu na cozinha de vez, atrapalhando nossa conversa, Denise arregalou os olhos mais ainda, parecia que sua alma tinha saído e ido embora de seu corpo, já que ficou ali paralisada. 29 

Today’s Bonus Offer 

GET IT NOW 

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Caminho Traçado – Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Score 9.9
Status: Ongoing Type: Author: Artist: Released: 10/5/2023 Native Language: Portuguese
Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira" Novel is a subgenre of romance fiction that features a romantic relationship between the main characters, Célia Oliveira one of whom is a chief executive officer (Célia Oliveira) or high-ranking corporate executive. Read More Ex-wife’s Disguised Identity by Josie Atkins Novel

Read Online Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Aurora era uma garota cheia de sonhos, que começaram a ser destruídos após a morte de seu pai.Tudo que ela queria era dar uma vida melhor para a mãe, mas tudo mudou, quando sua mãe conhece um homem e se casa novamente, se transformando praticamente em outra mulher, Aurora que era filha amada, ficou detestada pela mãe, que tinha ciúmes do marido com a filha, as coisas só pioram quando ela tem que fugir de casa para não ser violentada pelo padrasto, e na procura por um lugar para morar, acaba encontrando um homem misterioso numa ponte...

Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Some Important Questions Related to the Story

  1. What time did Aurora's mother arrive home, and why was she upset?
    • Aurora's mother arrived home after six o'clock, and she was upset, possibly due to something Sandro had done or said.
  2. How does Aurora contribute to her household?
    • Aurora takes care of her younger sister, Alice, so her mother and her boyfriend, Sandro, can work outside the home. She also makes hair bows to earn some money.
  3. Why does Aurora hide her earnings from making hair bows?
    • Aurora hides her earnings because she plans to use the money to leave home when she turns eighteen and doesn't want her family to take it from her.
  4. Why hasn't Aurora been able to pursue her dream of attending college?
    • Aurora's mother didn't allow her to attend college because she believes Aurora should take care of Alice instead of pursuing higher education.
  5. What is the nature of Aurora's relationship with her friend Isadora?
    • Aurora and Isadora are best friends who met in elementary school. They had plans to attend college together, but Isadora is now leaving for another state to study medicine.
  6. What is Aurora's ultimate goal when she turns eighteen?
    • Aurora's goal when she turns eighteen is to leave her current home and start a new life in a different city, far away from her family's toxic environment.
  7. Why does Aurora's mother's attitude toward her change after she started dating Sandro?
    • Aurora's mother's attitude changed because she became infatuated with Sandro and allowed her jealousy and possessiveness to affect her relationship with Aurora.
  8. How does Aurora plan to support herself when she leaves home?
    • Aurora plans to support herself by finding a job, renting a small apartment, and eventually pursuing a college education to achieve her dreams.
  9. What does Aurora think about her two months left in her current situation?
    • Aurora sees these two months as a short period in comparison to the difficult years she has endured and is determined to leave her current situation behind.
  10. Why does Aurora want to move to a distant city?
    • Aurora wants to move to a distant city because she believes that anywhere else would be better than her current situation at home, and she is determined to start fresh and pursue her dreams away from her family's toxic environment.

Conclusion

Aurora's story is one of resilience and determination in the face of a challenging family situation. Despite her difficult circumstances, she is determined to break free, pursue her dreams, and build a better life for herself. Her unwavering spirit serves as a testament to the power of hope and ambition.  

Caminho Traçado - Uma babá na fazenda By Célia Oliveira

Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Options

not work with dark mode
Reset